header ads

Entidades médicas recomendam fim da obrigatoriedade das máscaras na Paraíba


A Associação Médica da Paraíba (AMB – PB) e o Sindicato dos Médicos (SIMED – PB) divulgaram uma nota técnica conjunta na qual traçam um diagnóstico do quadro de enfrentamento da pandemia na Paraíba e apresentam recomendações sobre aspectos como a obrigatoriedade do uso de máscaras e a exigência do passaporte sanitário.

No documento, de 23 páginas, as entidades recomendam a imediata “flexibilização da

obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre para toda a população e para crianças de até 12 anos em qualquer ambiente, inclusive nas escolas, mantendo a recomendação de uso, em caráter opcional, para grupos de indivíduos mais suscetíveis, como por exemplo idosos ou portadores de comorbidades de risco”.

Além disso, sugerem que “que dentro de 14 dias, não havendo piora das condições epidemiológicas, tornar universalmente opcional o uso das máscara no Estado, em todos os seus municípios”.

A AMB e o Simed ainda recomendam que seja decretado “o fim do estado de calamidade pública no Estado e municípios”.

PASSAPORTE NÃO É ‘MEIO CIENTIFICAMENTE ACURADO’

A nota técnica da Associação Médica da Paraíba (AMB – PB) e o Sindicato dos Médicos (Simed – PB) também recomenda a derrubada da exigência do chamado passaporte sanitário (ou passaporte vacinal).

A exigibilidade foi instituída na Paraíba por meio de lei de autoria dos deputados Adriano Galdino e Ricardo Barbosa, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador João Azevêdo.

No documento, as instituições afirmam, de maneira expressa e clara, que o passaporte não tem respaldo científico.

Por isso, orientam a “imediata revogação da Lei Estadual 12.083/2021, que institui o passaporte vacinal, posto que, pelas evidências expostas, não se trata de um meio cientificamente curado para triar indivíduos quanto ao potencial de transmissibilidade da covid-19”.

Postagem Anterior Próxima Postagem