header ads

Coluna "O Sermão do Monte" - Por Waltair Pacheco de Brito Jr

 


O sermão do monte é o mais completo e absoluto conceito de vida cristã mostrado pelo próprio Jesus. As revelações feitas por Cristo aos seus discípulos e a multidão que o ouvia naqueles dias e que nos alcança ou diz respeito a nós, nos mostram o proceder de uma vida cristã, isto é, as ações resultantes de se viver em Cristo. Este conceito não são regras que nos fazem mudar de vida, eles são princípios que vivemos por já termos mudado nossas vidas.

Parte I:

1.       As bem aventuranças a felicidade da vida cristãMt 5.1-12

*       Nesta primeira parte, Jesus trata da felicidade na vida terrena, Ele aponta para o que de fato produz a verdadeira felicidade na vida dos cristãos. Evidentemente sua revelação contraria frontalmente as ideias do mundo.

*       Observamos que nos versículos 3-6 Jesus fala de uma relação no plano horizontal, isto é, uma ralação direta com o nosso dia a dia, nossas relações humanas, do 7 por diante, vertical, isto é, relação homem/Deus.

*       Jesus vai dizer Felizes são os:

Pobres de espíritoos despojados de si mesmos, sem orgulho, vaidade, razão. O cristão entende a incapacidade, impotência e limitação de suas vidas, a falência espiritual sem Deus de todo o homem.

Que choram – não pela dor das circunstâncias, mas em rendição, submissão e dependência de Deus. O cristão clama por misericórdia a Deus por si e pelo próximo, entendendo que todos dependem d’Ele.

Mansos – temperamento dócil, benigno, de bom trato, equilibrado, coerente. Como cristão entende o processo de relação social entre os homens estabelecido por Deus, amor ao próximo, paz com todos. Estes vivem para desfrutar a terra.

Que têm fome e sede de justiça – justiça que excede a de escribas e fariseus, justiça que vai além do senso comum de ser correto em seus próprios atos e contempla o próximo fazendo justiça a este, ainda que a mesma penalize a si pelo erro que cometeu.  Estes se fartarão e terão justiça para si.

Misericordiosos aqueles que exercem a bondade, que são copassivos, que perdoam as ofensas. Os cristãos entendem que não fazem por merecer o perdão de Deus, logo os que os ofendem não têm que fazer com que sejam perdoados, perdoar é o que Deus exige do homem para com o próximo, para que também sejam perdoados.

Limpos de coração os cristãos agem sem maldade, fazem o bem sem olhar a quem agem sempre pelas motivações corretas, não buscam nem praticam o mal, não são atraídos pelos prazeres imediatos do mundo, mas pelos princípios divinos. Estes são os que verão a Deus.

Pacificadores – todo o que é cristão promove a paz em qualquer circunstância, têm paz com todos enquanto depender deles, fogem dos conflitos, se desviam das desavenças. Eles, serão chamados de filhos de Deus, porque o Pai é pacifico.

Que sofrem perseguição por conta da justiça embora seja necessário que tenhamos nosso senso de justiça terrena aguçado como já dito, Jesus está tratando aqui que os que são cristãos se alimentam da justiça divina, estes entendem que Deus é justo e faz justiça sobre qualquer circunstância, que Ele é quem os justifica. Estes, herdam o reino dos Céus, estes povoam o reino dos céus.

Caluniados, acusados falsamente, injuriados como cristãos entendem que em razão do amor à Cristo, por conta do evangelho que anunciam os princípios que defendem, em ter os passos de Jesus como os seus, eles sofrem todas estas aflições confiantes sabendo que estão no caminho certo. Estes receberão grande galardão.

Infelizmente o mundo prega o caminho inverso, investe em conceitos contrários, aplaude os pensadores do contraditório, abraça os que agem na contra mão destes ensinamentos de Cristo, isto fica claro quando os livros mais vendidos no mercado são de auto ajuda, quando as plateias mais cheias nos auditórios, são de pensadores que vendem sonhos, quando os mais imitados, são aqueles que agem com rebeldia.


Fica notório que Jesus estava certo quando os ricos não são felizes, quando os bem sucedidos profissionais desistem da vida, quando futuros promissores se desfazem nos vícios.
Postagem Anterior Próxima Postagem